Outrora em viagens de longa duração em que os peões das fazendas faziam os deslocamentos das boiadas para venda ou para locais de abates, nos momentos de descanso e alimentação era costume abater um animal, cavar um buraco no chão e, com galhos faziam espetos onde colocavam os pedaços da carne para assar com temperos típicos e sal grosso, e quando no ponto, todos se serviam fatiando diretamente do espeto.
 
Uma verdadeira festa animada à moda de viola.
Aproveitava-se a chama, e dali saiam iguarias como o arroz carreteiro e o chimarrão.


Chimarrão é uma bebida digestiva feita com erva mate apropriada
em que se acrescenta aos poucos água quente, e é sorvida por um canudo metálico com filtro, a bomba. Essa cuia passando de mão em mão, aquecia ainda mais a confraternização.
Então, nasceu o churrasco.

Pela influência dos italianos, por volta dos anos 60 passaram a saborear
os espetos também com outras carnes: suínas, caprinos e aves.

   
Nos anos 70, as churrascarias pegaram força em São Paulo, e um novo conceito, o rodízio incrementou a forma de melhor servir e satisfazer os apreciadores do churrasco gaúcho.
 Na década de 80, surge no Guarujá, a primeira churrascaria, o que viria a ser hoje a melhor churrascaria do Guarujá.
Temos honrado o compromisso de servir o melhor churrasco gaúcho.
Em dois endereços: GUARUJÁ